Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

29/04/2016

Guerra Civil






A estreia – ontem – do filme Capitão América: Gerra Civil é o pretexto – desnecessário mas justificável até pela oportunidade de comparar os inevitáveis desvios e diferenças, o que ficará eventualmente para nova oportunidade – para voltar à Guerra Civil original, aos quadradinhos e complementar a leitura já feita aqui.

27/04/2016

Batman: O Regresso do Joker







As palavras ‘O regresso de…’ associadas a histórias de super-heróis, fazem com que fique sempre de pé atrás, temendo a enésima ressurreição do herói/vilão recém-mediaticamente falecido.
No caso presente esses receios são infundados.

26/04/2016

Jonathan


Jonathan é o protagonista da nova colecção de banda desenhada ASA/Público, que começa amanhã a ser distribuída com o jornal.
No total serão 10 álbuns, de capa mole com badanas, ao preço habitual de 5,50 €.
Breve apresentação da série, com informação bibliográfica, original e portuguesa, já a seguir.

Exposição: As Jóias da Bedeteca

25/04/2016

XII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja inaugura a 27 de Maio









O FIBDB realiza-se este ano entre os dias 27 de Maio e 12 de Junho, celebrando a sua 12.ª edição, desta vez num novo formato, abraçando exclusivamente o Centro Histórico da cidade.

22/04/2016

Tempestade sobre Galveston










Uma boa edição faz uma boa  história? Não.
Mas uma boa edição valoriza uma (boa) história? Sem dúvida.

Leitura Nova: Tempestade sobre Galveston

 



Tempestade sobre Galveston, de Pasquale Ruju (argumento) e Massimo Rotundo (desenho), será editado com duas capas diferentes. O livro terá apresentação na 3ª Mostra do Clube Tex Portugal, dia 23 de Abril (Sábado), às 16h00, no Auditório do Museu do Vinho Bairrada - Anadia, com a participação de Massimo Rotundo, Rui Brito e Mário João Marques e moderação de João Miguel Lameiras, seguida de sessão de autógrafos.

21/04/2016

Chernobyl: A Zona



A “26 de Abril de 1986, explodia o Reactor IV do Complexo Nuclear de Chernobyl. Ninguém sabe o que aconteceu naquela noite. […] não importam as causas, e sim as suas consequências: cinquenta toneladas de material radioactivo lançadas na atmosfera, vinte e cinco mil anos de contaminação na zona, milhares de crianças doentes com cancro. […] Ainda hoje, trezentos velhos vivem nesta região e alimentam-se do produto desta terra fertilizada com material radioactivo.”
Do prefácio de Álvaro Colomer
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...