Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

27/10/2011

O tesouro Tintin

Com a estreia (hoje, em Portugal) do filme de Steven Spielberg, que adapta as aventuras de Tintin, os fãs de Tintin, em especial os coleccionadores (que são muitos) aproveitarão para tirar a barriga de misérias pois os últimos anos, não tendo sido isentos de novidades nesta área, obrigavam a puxar bastante os cordões à bolsa, devido à política seguida pela Moulinsart, que detêm os direitos da personagem, apostada em produtos mais luxuosos para fazer de Tintin uma marca de eleição. Por isso, aliás, quando Nick Rodwell assumiu a direcção da Fundação Moulinsart, após casar com Fanny Remi, viúva de Hergé, uma das suas prioridades foi a não renovação ou o cancelamento das muitas licenças relacionadas com Tintin então existentes, pois o desenhador nunca colocou grandes entraves na sua concessão.Essa mesma política explica, também, porque é que a maioria dos produtos agora disponibilizados se baseia nos visuais do filme, pertencentes à Sony Pictures Releasing, e não nos desenhos originais de Hergé, pertencentes á Moulinsart. O que, segundo alguns especialistas de marketing, na perspectiva de serem realizados mais dois filmes, pode levar a que o Tintin do cinema “canibalize” o de Hergé. Ou seja, exactamente o contrário do que Moulinsart pretendia.Duma ou doutra forma, a verdade é que nunca foi possível encontrar produtos com Tintin com tanta facilidade e mesmo os fãs portugueses terão direito a uma “percentagem deste tesouro”. Desde logo, nos brindes coleccionáveis que a McDonalds começou a distribuir na Europa (Portugal incluído) na semana passada ou através da campanha que a Peugeot também trouxe até nós.
.


Antes disso, de forma surpreendente, no final do Verão a Oysho disponibilizou quatro conjuntos de baby-dolls, desenhados em parceria com a Moulinsart, o que constituiu a primeira investida de Tintin na intimidade feminina...










Outros produtos onde dificilmente se adivinhava a efígie do repórter são, por exemplo, embalagens de comida para cães da Purina, nos EUA, e os brioches Pitch, disponíveis na Bélgica, França e Inglaterra, em ambos os casos associados a “caças ao tesouro” via internet.


Mais vulgares e também acessíveis, são os copos oferecidos pela gasolineira Total, na Bélgica, ou as figuras em PVC da Plastoy.






Já em França, há duas colecções em fascículos da Hachette, uma com figuras das personagens e outra com a caravela Licorne para construir em madeira. Uma terceira, um xadrez com as personagens do filme, está em fase de teste.



Vulgares baralhos de cartas, uma versão Tintin do “Mille Bornes”, um jogo de sociedade popular em França, um jogo de tabuleiro, construções Mecanno com os veículos utilizados por Tintin e até bilhetes de raspadinhas, na Bélgica, são outros artigos ao alcance de todas as bolsas.





Como é evidente, nos tempos que correm, também não podiam faltar as adaptações em videojogos das aventuras cinematográficas de Tintin, disponibilizadas já para consolas e telemóveis.

Os dois filmes de Tintin com actores de carne e osso, protagonizados por Jean-Pierre Talbot, "O Mistério do Tosão de Ouro" e "Tintim e as Laranjas Azuis, serão relançados numa edição conjunta em Blu-Ray.
Em termos de livros, se são vários os países a disponibilizar uma edição conjunta dos álbuns em que o filme se baseia, no mercado francófono multiplicam-se as edições que, entre: o romance e o álbum do filme, livros de jogos e mais estudos em torno da obra de Hergé e do seu herói, deverão rondar o milhão de exemplares.








Já nos Estados Unidos, onde o filme só estreia em Dezembro, os álbuns de Tintin, que até à data venderam apenas 5 milhões em mais de 30 anos, regressarão às livrarias com novas capas, mais actuais e chamativas.


Em Portugal, a ASA, que no próximo mês termina a reedição integral da colecção, em formato menor e com novas traduções, anunciou o lançamento de um álbum de grande formato intitulado “A Arte das Aventuras de Tintin”, baseado no filme de Spielberg.
Filme que valeu ao herói de Hergé chegar pela primeira vez à capa da Time distribuída esta semana...
(Versão revista e aumentada do texto publicado no Jornal de Notícias de 27 de Outubro de 2011)

8 comentários:

  1. Caro Pedro, apenas cumprimentar-te uma vez mais pelo teu trabalho em prol da bd e, neste caso, deste corolário franco-belga da dita supra :)
    Parabéns :)

    ResponderEliminar
  2. Caro João Miguel,
    Agradeço a leitura e as tuas palavras. Pessoalemnte gosto muito de Tintin e acho que isso também é evidente aqui neste espaço...
    Boas... compras de merchandising!

    ResponderEliminar
  3. De facto, que belo post (como é hábito). Muito obrigado.

    ResponderEliminar
  4. Olá Refém,
    Com tantos elogios, começo a ficar convencido... ;)
    Bom coleccionismo Tintin!

    ResponderEliminar
  5. Gosto muito do que está aqui.
    Beijinhos e abraços do teu filhote,André.

    ResponderEliminar
  6. Olá André,
    Como sabes eu também gosto muito do que está aqui!!! ;)
    Beijinhos e abraços para ti e boas leituras... de Tintin!

    ResponderEliminar
  7. Olá Pedro,
    Realmente está muito bom. Parabéns!
    Não sei se já referiu, mas a própria Weta também vai lançar no mercado (espera-se que ainda no final deste ano) algumas figuras em resina das personagens de "As Aventuras de Tintin", tendo como base os modelos digitais originais usados no filme. São elas: Tintin & Milou, o Capitão Haddock, os Dupond & Dupont e uma outra do Milou. Já tivemos a confirmação de que na europa a distribuição ficará a cargo da própria Moulinsart.
    Cumprimentos,
    Cool People

    ResponderEliminar
  8. Caros Cool People,
    Realmente ainda não tinha referido neste espaço essas figuras da Weta. Agradeço por me terem lembrado e deixo aqui o link para a figura de Tintin: http://www.wetanz.com/tintin-snowy/
    Boa colecção de figuras... Tintin

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...