Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

12/10/2011

Scott Pilgrim #4

Agora é a sério
Bryan Lee O’Malley (argumento e desenho)
Booksmile (Portugal, Setembro de 2011)
127 x 190 mm, 168 p, cor e pb, brochado
9,99 €

Resumo
Apesar de ser Verão, estação geralmente conotada com leveza e simplicidade, é altura de Scott dar um novo rumo à sua vida, procurando emprego e assumindo (ou não…) a sua relação com Ramona.

Desenvolvimento
Embora não se referindo exactamente a isso, o título português deste quarto tomo do relato do quotidiano do adolescente retardado Scott Pilgrim, é especialmente feliz quanto ao seu conteúdo.
Porque – e neste caso a publicidade é verdadeira – este é sem dúvida o melhor dos quatro volumes até agora publicados.

Desde logo, porque a narrativa é bem mais linear e estruturada, dando menos espaço às fantasias e ancorando-se mais no quotidiano de Pilgrim e dos seus amigos. Que, com a idade a passar – em tempos idos bem mais cedo, nos nossos dias na faixa etária a partir dos 20, 25 anos… - tem que assumir relações e tomar decisões. Tão simples (ou tão complicadas) como esquecer as amigas para se concentrar na namorada, deixar o amigo gay com quem partilha o apartamento para ir viver com a miúda de quem gosta, arranjar um emprego que dê (alguma) estabilidade financeira – até para poder fazer frentes às novas responsabilidades; numa palavra: crescer.
O que raramente é fácil e sai bem à primeira, mas que se torna tão mais proveitoso, quanto maiores são as responsabilidades a enfrentar.

É disto que nos fala O’Malley, sem no entanto perder o humor e a desenvoltura narrativa, que conferem o tom original à descrição do quotidiano de Pilgrim, já patente nos volumes anteriores. A par desta maturidade temática e narrativa, o autor consegue também crescer graficamente, com uma melhor definição gráfica das personagens, o que facilita a leitura e permite ao leitor acompanhar sem grandes dificuldades o elevado ritmo narrativa da obra, devido à planificação diversificada e dinâmica (e não só nas cenas de acção), onde são evidentes as influências do manga, conferindo a este tomo tudo para continuar a agarrar os seus fãs e conquistar alguns daqueles a quem os três primeiros tinham deixado reticentes.

A reter
- O bom trabalho de cor da sequência inicial de 8 páginas.
- A maturidade do autor que este tomo revela bem como o salto de qualidade da série.
- A edição de quatro volumes em cerca de um ano – e o anúncio da edição dos dois restantes até ao final do ano (a 20 de Outubro e a 17 de Novembro). Se isto não é caso único em Portugal, anda bem perto disso. E significa respeito pelo leitor e a demonstração de uma aposta clara numa determinada obra.
Conhecidas algumas condicionantes que, por vezes, impediram que isto acontecesse noutros casos, se esta tivesse sido a regra e não a excepção da edição de BD em Portugal ao longo das décadas, de certeza que as coisas estariam bem melhor a esse nível…
PS – A par de Scott Pilgrim, Dragon Ball e Yu-Gi-Oh! (ambos da ASA), são também exemplos semelhantes. Fica a esperança que algo esteja a mudar nesta área e que não se fique apenas a dever a imposições dos detentores originais dos direitos de autor… De qualquer forma, os leitores portugueses saíram a ganhar.

Trailer

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...