Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

18/10/2011

Tintin, Hergé et les autos

Charles Henry de Choiseul Praslin (texto)
Éditions Moulinsart (Bélgica, 2004)
220 x 300 mm, 64 p., cartonado
12,85 €

A falta de novos álbuns de Tintin – o que é comercialmente mau mas sem dúvida positivo do ponto de vista artístico e de conservação da obra original – tem obrigado a Foundation Moulinsart, detentora dos direitos de Hergé, a aguçar o engenho criando obras – leia-se motivos – que façam com que se continue a falar e a escrever sobre Hergé e a sua obra. Dois exemplos recentes* são os livros Tintin, Hergé et les autos e Nous Tintin.
O primeiro, profusamente ilustrado, esmiúça até ao ínfimo pormenor os automóveis que “circulam” pelos álbuns de Tintin, contabilizando-os, descrevendo-os, comparando-os com veículos reais, investigando em que situação Tintin os utiliza (táxi, roubo, empréstimo, …), analisando o seu sentido de marcha relativamente à situação na história e aos intentos de quem o conduz, e termina com a relação dos modelos 3D nascidos a partir das diversas aventuras de Tintin.

Nous Tintin
Diversos autores
Éditions Moulinsart + Télérama (Bélgica, 2004)
230 x 320 mm, 96 p., cor, cartonado
19,95 €

Quanto a Nous Tintin, recupera em forma de álbum o número especial que a revista Télérama dedicou aos 75 anos de Tintin e está dividido em três partes. Nas duas primeiras, Plumes pour Tintin e Une famille Ad Hoc historiadores, escritores, jornalistas, psicólogos e outros autores francófonos discorrem sobre a vinheta de Tintin que mais os marcou ou dissertam sobre as principais personagens de Hergé. A obra conclui com Hergé à l’0euvre, na qual são referidos aspectos curiosos da obra do autor, a par de uma entrevista inédita com ele e outra com a sua viúva, Fanny Rodwell.

Duas abordagens completamente diferentes (complementares?) que mostram a importância e a perenidade de um dos mitos dos nossos dias e que contribuem para o manter vivo.

(* texto publicado no Jornal de Notícias de 7 de Novembro de 2004)

Nota
Por sugestão do leitor Zé Dias da Silva, fica o convite para uma visita a Les Autos de Tintin, que é um bom complemento à leitura do primeiro livro aqui sugerido e também da colecção Os Carros de Tintin que a Planeta DeAgostini lançou há poucos anos em Portugal. Colecção que, no entanto, se limitou a 34 carros, apenas cerca de metade dos 70 exemplares diferentes da colecção original francesa, que pode ser apreciada na íntegra em Voitures Tintin – Collection Atlas.

8 comentários:

  1. Olá Pedro
    O carro lunar saiu nessa coleccção?

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá Bongop,
    Não, o carro lunar não figurou nessa colecção.
    Boas leituras!

    ResponderEliminar
  3. Óhh... pena! Nesse eu estaria mesmo interessado!
    :|

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Olha que há uma série deles que valem bem a pena! A começar pelos três extraídos do País dos Sovietes.

    ResponderEliminar
  5. Obrigado pelas fótos dos meus carros...
    http://lesaventuresdetintin-fred.blogspot.com/2010/12/n64-draisine-em-tintin-au-pays-des.html

    ResponderEliminar
  6. Caro Fred,
    É verdade, pedi "emprestadas" as suas fotos e depois perdi o link para indicar a origem...
    Fica aqui o devido pedido de desculpas e o convite para visitarem o seu site.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  7. Boas. Sabem me informar aonde poderei adquirir algumas miniaturas dos carros do Tintin. Tchau e obrigado.

    ResponderEliminar
  8. Caro anónimo,
    Obrigado pela visita.
    No Porto, a loja Timtim por Timtim tinha bastantes exemplares ainda há pouco tempo...
    Boas compras!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...