Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

02/03/2017

Parker: O golpe

Policial aliciante






Tema recorrente na literatura policial – e por arrastamento no cinema, na BD… - o grande assalto, nunca imaginado, nunca tentado, é o tema do terceiro tomo de Parker, com o (inevitável) atractivo extra: desta vez o alvo é uma cidade inteira.
Parker, criação do romancista Richard Stark (e tomem nota deste apelido, voltarei a ele dentro de poucas semanas, a propósito de Catwoman: O Grande Golpe de Selina, um dos volumes da colecção No Coração das Trevas da DC, a próxima iniciativa Levoir/Público) é um ladrão profissional, que vive do provento dos seus assaltos.
Amante da boa vida, das belas mulheres e de uma vida sossegada, só volta ao activo quando as reservas financeiras começam a escassear… ou quando o golpe em vista constitui um desafio irrecusável.
É o caso do que lhe é proposto neste terceiro (de quatro) volumes da adaptação das andanças de Parker que Darwyn Cooke levou a cabo muito competentemente, com um estilo gráfico magnífico que faz reviver os anos 50 em que a acção decorre e um ritmo narrativo propositadamente pausado que destaca a psicologia do protagonista e adensa o clima de tensão e suspense do relato. O objectivo é assaltar uma cidade inteira, uma pequena cidade que vive em torno e à custa da mina que emprega e alimenta grande parte da população. No dia de pagamento dos ordenados, o banco e algumas joalharias locais são extras a ter em conta, que obrigam a reunir uma equipa alargada de uma dúzia de pessoas com diferentes especialidades.
A preparação do golpe, a selecção dos participantes, o estudo do local, a compra do material e veículos necessários, ocupam metade do volume até que chega a data escolhida. Aí, há que passar à prática o que foi delineado, testar o que foi imaginado, verificar – sem volta atrás – se a realidade corresponde à preparação feita.
E neste ponto, como sempre, surgem dois factores preponderantes para o sucesso ou o fracasso: o humano, pois cada um dos intervenientes está sujeito a pressões que só no momento se revelam e cuja resposta de cada um é sempre um enigma e no local há pessoas cuja reacção – inevitavelmente - não pode ser considerada antecipadamente, e o imponderável, o pequeno grão de areia que coloca em risco semanas, meses de trabalho.
A forma como se lida com um e outro, a margem de manobra que o plano deixou, a capacidade de improviso no momento, são a diferença entre mais alguns meses de boa vida para Parker, a necessidade de preparar novo golpe ou mesmo a cadeia ou a morte.
A resposta, no caso presente, só será conhecida após a leitura de O Golpe, um policial muito aliciante, com a certeza de que não será tempo desperdiçado.

Parker
Volume 3: O Golpe
Colecção Biblioteca de Alice
Darwyn Cooke
Devir
Portugal, Fevereiro de 2017
150 x 230 mm, 144 p., cor, capa dura
ISBN: 978-989-559-312-7
EAN: 9789895593127
19,99 €

(imagens disponibilizadas pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...